sábado, 15 de novembro de 2008

SENTIMENTO DE CULPA

"Me perdoa!!! Preciso ouvir ouvir da sua boca que estou perdoado(a)!!!!"
O sentimento de culpa é o sofrimento obtido após reavaliação de um comportamento passado tido como reprovável por si mesmo.

Alguns passam a vida errando e se culpando; outros sendo vítimas dos erros dos outros, e culpando-os; outros não fazem nada ou em tudo que fazem, são culpados; e outros, ainda para justificarem seus próprios erros, nos culpam.

Esse sentimento que corrói nossa alma e que muitas vezes nos impede de sermos nós mesmos, tem muitas variáveis difíceis de se esgotar.

Mas podemos refletir sobre alguns aspectos geradores de culpa.Características de quem sente culpa:

* Preocupação excessiva com a opinião dos outros;

* Sente-se mal quando recebe algo, pois na verdade não se considera digno de aceitar o que os outros dão;

* Fala repetidamente sobre o que motivou a sentir culpa;

* Raiva reprimida;

* Dificuldade em assumir responsabilidade pelos próprios atos;

* Sente-se rejeitado;
* Responsabiliza o outro pelo próprio sofrimento;

* Sente-se vítima em algumas ou muitas situações;

* Geralmente se pune ficando doente, ou sendo vítima freqüente de acidentes, ou seja, autopunições constantes;

* Dificuldade em expressar os reais sentimentos;

* Não consegue falar 'não';

* Necessidade em agradar;

* Sempre fazendo algo pelos outros e raramente para si mesmo;

* Dificuldade em fazer algo só para si;

* Não consegue administrar o tempo, pois está sempre sobrecarregado;

* Baixa auto-estima;

* Falta de amor-próprio.

2 comentários:

leo disse...

Realmente isso acontece , estou passando isso , com o meu esposo.
É uma realidade.
Parabéns Dra.Rosa ,pela sua competência, inteligência e objetividade .
Seu Blog é real,objetivo e esclarecedor.
Ajuda as pessoas ,uma delas sou eu ,similar e entender os sentimentos e a doença do meu esposo ,que é esquizofrênico.
OBRIGADA !!!

Eduardo Bastos disse...

Quantas vezes em nossa vida nos vemos nestas situações: Necessidade de agradar, não cosegue dizer "não", sempre fazendo algo pelos outros e raramente para si mesmos. E quando fazemos para nós mesmos somo chamados de egoístas. Nos esquecemos de nós mesmos e vivemos para os outros. Esses outros que muitas vezes não são nossos filhos, esposa, pai, mãe, irmãos. Mas "amigos" ou que se denominam como amigos. Aí o tempo passa os anos correm a fio e derrepente vemos que não escrevemos nossa própria "história". As vezes deixamos de constituir uma família porque vivemos a família dos outros. Os problemas dos outros.
Em algum momento é necessário dar um "BASTA", "CHEGA". A sociedade nos chamará de egoístas, mesquinhos e etc. Não quero dizer com isso que devemos nos fechar para o mundo, mas somente sermos prudentes e cuidadosos para não permitir que sejamos usado pelos outros.