sábado, 29 de novembro de 2008

Namorar ou Ficar eis a questão!!



O comportamento sexual do adolescente é classificado de acordo com o grau de seriedade. Vai desde o "ficar" até o namorar. O que se observa é que o ficar expressa uma nova forma de relação, uma ética para os relacionamentos provisórios, típicos dos tempos de rapidez. Faz parte da regra, que nada fique depois do ficar.
Esse tipo de conduta descompromissada do adolescente, inquieta nosso olhar adulto, perturba nossas juras de amor eterno, confunde nossas promessas de fidelidade. Pergunto porém: não há descompromisso também por parte dos governantes em relação aos cidadãos, dos pais em relação aos filhos, dos educadores em relação aos seus alunos, de uns em relação aos outros? O "ficar" parece apenas repetir-se na conduta dos jovens que, sem hipocrisisa, assumem que é bom ficar, sem compromisso.
"Ficar" é um tipo de relacionamento íntimo sem compromisso de fidelidade entre os parceiros. Num ambiente social (festa, barzinho, boate) dois jovens sentem-se atraídos, dançam conversam e resolvem ficar juntos aquela noite. Nessa relação podem acontecer beijos, abraços, colar de corpos e até uma relação sexual completa, desde que ambos queiram. Esse relacionamento é inteiramente descompromissado, sendo possível que esses jovens se encontrem novamente e não aconteça mais nada entre eles de novo.
Em bom número de vezes o casal começa "ficando" e evoluem para o namoro. No namoro a fidelidade é considerada muito importante. O namoro estabelece uma relação verdadeira com um parceiro sexual. Na puberdade, o interesse sexual coincide com a vontade de namorar e, segundo pesquisas, esse despertar sexual tem surgido cada vez mais cedo entre os adolescentes O adolescente, impulsionado pela força de seus instintos, juntamente com a necessidade de provar a si mesmo sua virilidade e sua independente determinação em conquistar outra pessoa do sexo oposto, contraria com facilidade as normas tradicionais da sociedade e os aconselhamentos familiares e começa, avidamente, o exercício de sua sexualidade.
As atitudes das pessoas são, inegavelmente, estimuladas e condicionadas tanto pela família quanto pela sociedade. E a sociedade tem passado por profundas mudanças em sua estrutura, inclusive aceitando mesmo que ás vezes imposta a sexualidade na adolescência e, conseqüentemente, também a gravidez na adolescência.
A medida em que os tabus, inibições, tradições e comportamentos conservadores estão diminuindo, a atividade sexual e a gravidez na infância e juventude vai aumentando.

Não há nenhuma dúvida, o sexo está liberado em nossos dias. Liberado e exposto. Saiu da privacidade, da intimidade da casa para a rua, para as telas, para a luz do dia. Então surge a pergunta: namorar ou ficar? Eis a questão!!!
Apenas devemos respeitar a decisão de cada jovem, porém orientá-los quanto a uma gravidez indesejada, a sentimentos conturbados e até mesmo a falta dele internamente.


"O encontro de duas personalidades assemelha-se ao contato de duas substâncias químicas: se alguma reação ocorre, ambos sofrem uma transformação". Carl Gustav Jung


Essa frase é em homenagem a minha amiga Ana Cristina do Oráculo.

Um comentário:

Scheilla disse...

Adorei esse assunto porque hoje em dia está tudo muito natural para todos. Não vejo nada demais em os jovens "ficarem" numa noite ou de vez em quando. Mas, esse ficar não é ter relações sexuais no primeiro ficar! Aonde estamos??? Dar beijinhos ficar numa boa acho até legal porque você vai amadurecendo aos poucos, conhecendo seu corpo, seus desejos.Ganhando experiências de vida para enfrentar um namoro e quem sabe um casamento numa boa.Não é como antigamente, que casávamos jovens sem nenhuma experiência de vida. Mais daí virar essa promiscuidade de hoje em dia, é demais! O sexo é uma coisa muito sagrada, pena que a maioria das pessoas não pensem assim.Pior que os pais acham que suas filhas são "inocentes" e colocam a culpa sempre nos meninos...Acho um absurdo depois que engravidam acharem naturalíssimo o aborto! Gente que é isso? Além de tudo essas meninas são muito BURRAS porque hoje em dia está em todo lugar propaganda de camisinhas, programas falando sobre métodos de como se prevenir de doenças sexuais. Deveriam ter ao menos o cuidado de pensar no assunto e se informar antes de ter relações sexuais.É o mínimo que elas poderiam fazer já que querem "ficar" com o primeiro que vê na frente sem saber que podem haver consequências que vão envolver a todos os familiares. AONDE VAMOS CHEGAR!! É um assunto para muitas discussões...As escolas tinham que ter obrigação de ter uma matéria sobre educação sexual. Bom vou parar porque já parou de ser um comentário, hahahaha....
Bjs...Scheilla