sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Depressão e relacionamentos: conjugal e familiar.



A Depressão, seja leve, moderada ou grave, será sempre incapacitante em algum grau, principalmente se considerarmos a duração dos sintomas. Ao longo do tempo os sintomas depressivos podem provocar desdobramentos complicados e desgastantes para a família e para a pessoa.

As relações íntimas entre pessoas com depressão são mais tensas, estressantes e cheias de conflitos do que entre pessoas não depressivas.

A depressão e os problemas de relacionamento e sexuais causados por ela seja a razão mais comum dos casais que procuram uma terapia.

Metade das mulheres depressivas reclama de sérios problemas dentro do casamento e, provavelmente, um número parecido dos homens pode também reclamar da qualidade do relacionamento com mulheres depressivas.
Quando aparece um quadro depressivo na família, geralmente esta se desestrutura bastante.

A tendência inicial é querer ajudar o indivíduo a reagir; ora acreditando que essa reação depende da vontade da pessoa deprimida, ora propondo medidas bem intencionadas e completamente ineficazes. Com freqüência dentro das famílias ou mesmo entre um casal existe uma série de crenças populares, que depreciam a pessoa com depressão, tais como a falta de vontade, uma fraqueza psíquica ou coisas assim.
Como ninguém consegue produzir melhoras, aflora um sentimento de frustração e impotência muito desgastante, principalmente quando se junta à mistura das tais crenças populares. Além disso, deve-se considerar o impacto social e econômico que a doença pode representar para toda a família.
É assim que os parentes de pessoas deprimidas, bem como os(as) companheiros(as) também sofrem de preocupação excessiva, raiva, exaustão e até mesmo raiva com a persistência daquele estado de humor problemático.
Acredita-se que as maiores dificuldades de convivência familiar, social ou conjugal sejam com pacientes distímicos, já que a Distimia está identificada com aquela característica de personalidade conhecida como mau-humor. A convivência com pessoas mau-humoradas é, inegavelmente, muito difícil.

Um dos fatores importantes no comprometimento do relacionamento íntimo é a alteração na libido, ou do desejo sexual que acompanha a Depressão. Quem está deprimido normalmente perde a capacidade de sentir prazer com tudo, inclusive com o sexo. Assim, com freqüência a vontade de iniciar a relação sexual está muito prejudicada, ou tão comprometido que não se consegue chegar ao orgasmo. Essa disfunção sexual é gradativa, e acontece conforme a depressão vai-se agravando.
A falta de desejo sexual pode comprometer uma relação na medida em que o(a) parceiro(a) sente-se deixado de lado, ou pior, suspeita de não estar mais sendo amado ou que pode estar sendo traído.

Quando sozinha (ou solteira) a baixa da libido pode impedir a pessoa com depressão de começar qualquer relacionamento novo, principalmente porque, além da Disfunção Sexual, estará presente também uma baixa auto-estima.
Geralmente o tratamento da depressão tratará também a disfunção sexual de maneira indireta.

Apesar de muitos antidepressivos terem como efeito colateral a diminuição do desejo sexual, mesmo assim a sexualidade vai voltando ao normal conforme vai melhorando a depressão.

Quando os antidepressivos forem diminuídos ou suspensos a sexualidade voltará ao que era antes da depressão.

3 comentários:

leo disse...

Uma triste realidade , que estou convivendo e sofrendo.
Não consigo achar resolução e nem pensamentos ,que possam gerar uma tranquilidade que necessito em nossa vida.
Vivo semperspectivas de vida e cansada.
Em momentos sinto que faço tentaivas inutéis , pois até o momento não vi nenhum sucesso.
Meus dias são rotineiros , exaustivos e enormes solidão.
Meu esposo está em tratamento e já esteve internado.
Ele tem TAB (TRANSTORNO BIPOLAR )+ TOC ( TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO.
Em tratamento agora assíduo medicamentoso.
Ele parece viver em seu mundo e eu me sinto SÓ , ABANDONADA...
Sexo nem pensar , isso não acontece e nem faz parte do pensar e sentir dele , nesta fase tão difícil para ele ...
Até qdo suportarei toda essa situação, ainda não sei .
Só sinto exaustão e tristeza diante de tudo.
Este BLOG ,fala a realidade que vivencio com enorme tristeza...

Mundo da Onny disse...

Adorei seu post...estou vivendo o papel do que está num relacionamento onde o outro encontra-se terrivelmente deprimido. Minha sensação é de impotência, de "pisar em ovos", de não estar conseguindo ajudar...tá pesado e não sei se darei conta. Além disso o outro parece se refletir em mim e me culpa de inúmeras coisas..um desabafo..não é fácil...ainda mais qdo o outro parece colocar toda a responsabilidade sobre vc...abraço e continuarei passando por aqui...

garuti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.