quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

AGRESSIVIDADE E VIOLÊNCIA INFANTIL - O que fazer?


Os pequenos e as crianças de idade pré-escolar com freqüência brigam pelos brinquedos. Sendo que algumas delas são premiadas involuntariamente pela sua agressividade. Podemos exemplificar: pode ser que uma criança empurre a outra, jogando-a no chão e pegando seu brinquedo. Se a outra criança chora e se afasta, a criança agressiva se sente vitoriosa, já que conseguiu o brinquedo. O ideal é observar esse comportamento e a freqüência em crianças agressivas e ter atenção em relação ao seu humor, ou seja: pode estar triste ou alterada, ter problemas para controlar a coragem, ter sido testemunha de violência ou ter sido vítima de abuso no cuidado diurno, na escola ou em casa.

As pesquisas têm demonstrado que as crianças que são agressivas fisicamente em idade muito pequena, têm tendência a continuar com este comportamento quando maiores. Os estudos também demonstraram que as crianças que são expostas à violência e à agressão repetidamente através da televisão, vídeos e filmes, agem de forma mais agressiva.

Se uma criança pequena tem problemas persistentes com a ação de brigar e de morder, ou exibe um comportamento agressivo, os pais devem buscar ajuda profissional de um psiquiatra de crianças e adolescentes ou de outro profissional da saúde mental que se especialize na avaliação e tratamento dos problemas do comportamento das crianças pequenas.

Como devemos agir mediante essa situação?

- A intervenção precoce é muito mais efetiva. Não espere que a criança comece a mostrar comportamento mais agressivo. Intervenha logo que observar que a criança se sinta frustrada ou que esteja se alterando com facilidade.

- Quando as crianças pequenas brigam com freqüência, supervisem-nas mais de perto.

- Se uma criança bate em outra criança, de imediato separe os dois. Logo trate de consolar e atender a criança que foi agredida.

- Ao bebê que começa a andar (1 a 2 anos), diga-lhe: “Não bata. Dói quando você bate”.

- À criança pequena (de 2 a 3 anos), diga-lhe: “Eu sei que você tem coragem, mas não bata”. Isso começa a ensiná-la a empatia com as outras crianças.

- Não bata na criança se ela está batendo em outras. Isso a ensinará a utilizar um comportamento agressivo.

- Os pais não devem ignorar ou menosprezar as brigas entre irmãos.

- Ensine-os que a agressão não é a forma correta para conseguir o que se quer. Por exemplo: imaginemos o caso de dois meninos, um de 06 e outro de 04 anos de idade. O maior está jogando bola até que o menor aparece para tirá-la. E ali se iniciam as brigas e gritos. O pequeno grita e esperneia porque quer a bola. Se intervier, exigindo que o maior conceda a bola ao menor, estaremos reforçando de uma maneira negativa, que o pequeno sempre esperneie e grite para conseguir o que se quer.



2 comentários:

Jeferson / _Vascao_ disse...

Desde o berço temos que acompanhar nossos filhos e identificar as más tendencias e as boas qualidades, tratar as tendencias negativas e incentivar as tendencias positivas.

Abraço
Jeferson

AQUI E AGORA disse...

Um blog interessante. Julgo que a agressividade sobre as crianças começa antes do seu nascimento.

Ap