domingo, 26 de abril de 2009

VICIADO EM INTERNET



Nos dias de hoje o uso excessivo dos computadores tem sido foco de vários estudos, pois tal como o álcool, as drogas ou o cigarro, está sendo tratado como vício por psicólogos e terapêutas. Os problemas estão relacionados a um aumento da tensão (stress) e de propensão a problemas cardíacos. Um fator que causa tensão crescente é a posição sentada por longas horas, observando a tela do monitor.

A diminuição da interação social pode enfraquecer a auto-imagem e, assim, provocar angústias e tensões que se refletem no funcionamento fisiológico do organismo.

O processo acelerado de comunicação de massa, sem qualquer base filosófica coerente, destrói toda a hierarquia de valores sociais.

Isso agrava a desagregação da família, dos amigos e de toda a sociedade.

Esta desagregação se deve, principalmente, à falta de consenso quanto a princípios, valores, comportamentos, interesses e objetivos de vida.

Um outro sintoma decorrente deste contexto é a perda de identidade dos indivíduos.

Nos Estados Unidos é muito grande o número de jovens que procuram psicólogos e psiquiatras em busca da identidade psicológica perdida.

O vício no uso do computador pode levar a certa impaciência, o usuário começa a não suportar mais aquela demora numa conexão à Internet, ou mesmo é dominado pelo nervosismo quando acontece um bug em determinado programa. Sintomas incontestáveis de vício, que podem levar a situações de stress.
Quando se fica muito tempo em frente ao monitor sem perceber, dar-se conta, do tempo transcorrido, é sinal evidente de vício.

Quando as refeições passam a ser feitas concomitantemente ao uso do computador, sofre-se de um apego extremo a um mau hábito, algo que foge ao controle, que parece ser mais forte do que a própria razão.

O viciado muitas vezes sabe que seu comportamento é anormal, mas a doença lhe domina.

É indiscutível a popularidade da Internet, e de tudo o que gira em torno dela, nos dias de hoje. Praticamente, da criança ao adulto há um desejo e curiosidade constante de explorar todo o fascínio que a "rede" tem representado.

Conseqüentemente, a Internet tem sido, assim como jogos, a principal causa do vício pelo computador. As pessoas acabam esquecendo inclusive do significado da palavra vício, pois vangloriam-se "sou viciado em computador".

O termo "viciado" tem denotado qualidades, quando no fundo representa um defeito.

O computador como um vício representa mais um destes defeitos, com os quais o homem inconsciente se vê indefeso e incapaz de enfrentar.

É preciso dar-se conta destes fatos, e tudo começa por uma constante auto-avaliação interior em busca de defeitos a serem corrigidos. Pois tudo em excesso é prejudicial para o ser humano.

9 comentários:

Celamar Maione disse...

Todo excesso é prejudicial.
Qualquer que seja ele.
Amor. Bebida. Trabalho.Internet. etc...
Não acho o computador " culpado" de nada.
Antes, o vilão era a tv, agora é a internet.
Sempre se acha um vilão.
Na verdade se existe culpado é a vida real que apresenta " poucas " atrações.
O poeta inglês Byron dizia que não gostava de escrever, mas escreveia, pq não havia nada mais interessante para se fazer na vida.
Quem se vicia em net é pq já tem tendência ao vício.Ou de trabalho. De amor. Religião.....
Eu tenho uma amiga que anda meio " pirada",ontem surtou geral.
Acredite : ela não sabe mexer em computador. Eu que fiz um e-mail para ela e ensinei a mexer. Mas ela quase não entra em internet. Aliás, é raro.
Quem tem tendência a pirar, pira por qualquer coisa.
Como diz a músia do Lobão :" As pessoas enlouquecem calmamente, viciosamente e sem prazer...!
Beijos

Maldita Futebol Clube disse...

Tudo em excesso é ruim... e o computador para mim é ferramenta que socializa em casa! prefiro o social na rua ... pois é ,mas éum "mal necessário" da sociedade moderna! abs, leandro

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

O mar me ultrapassa.
Mas ondas haverão de contar
Aos ouvidos que lá pousarem
Que um dia sonhei no mar.

O céu não vai se importar
Quando eu monge de meu hábito partir.
Mas estrelas enquanto restarem
Hão de lembrar
Que um dia me puseram feliz.

A terra , é fato, há de me subtrair.
Mas a árvore que me deitou raiz
E as cores
Que em meu tempo colhi
Estas eu levo comigo
Ninguém há de tirá-las de mim.

Fernando Campanella

Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho
Abraços Eduardo Poisl

Rose disse...

Um texto muito importante para que nos mantenhamos atentos em relação aos vícios!
Muitas vezes, pela Internet, ficamos de frente para o mundo e de costas para o entorno...
Equilíbrio é a palavra-chave!...
Desculpe-me o sumiço;vou aparecer em breve...
Um beijo,
Rose.

Um mero olhar crítico... disse...

Até poucos dias, não tinha o costume de acessar blogs, Hj fico feliz por encontrar pessoas que entendem que a internet pode ser muito mais que msn, orkut, jogos, ou notícias sensacionalistas.
Cultura e auto-conhecimento são fundamentais! E vc tem feito essa combinação muito bem! Parabéns!

Abraço!

Maldita Futebol Clube disse...

aparece sumida...beijos!olha la o post terra de gigantes!

Véu de Maya disse...

Não poderia estar mais de acordo.

beijinho,

Véu de Maya.

SCHEIILA OAK disse...

É difícil mesmo, nos tempos de hoje ,onde as crianças lidam cada vez mais com computador. É na escola, em casa, muitas nem escrever com uma caneta direito sabem, tem letras horrorosas, o vocabulário péssimo e tudo por conta do computador.... tudo por conta desse exagero que o mundo todo está vivendo.Fazer o que??? Cada um que se controle pra não pecar em exageros e síndromes depois!!
bjs.Scheilla Oak

augusto.barretto disse...

Rosa, em termos de conceituação cognitiva e esquemas/crenças, o que você tem observado em relação à compulsão à internet?
Att.
Augusto Barretto